Por meio do documentário do projeto “Eu Vejo Flores”, temos como objetivo ampliar o espaço de voz das mulheres que se encontram no sistema carcerário. São também objetivos desse material: sensibilizar e conscientizar a sociedade sobre questões relacionadas aos ciclos de violência em que essas mulheres se encontram.

O documentário apresenta linguagem poética e tem como objetivo promover a empatia entre o público espectador e as mulheres privadas de liberdade, que compartilham seus sentimentos e seus sonhos no audiovisual.O lançamento do documentário foi no dia 06 de dezembro de 2018, e contou com duas convidadas especiais: Elizandra Coelho e a professora Priscilla Placha Sá.

Elizandra passou pela experiência do cárcere, está liberta há um e compartilhou com o grupo experiências sobre violência dentro do cárcere e sobre como todas distanciam as pessoas privadas de liberdade de qualquer condição de ressocialização e transformação individual. Lembrou, porém, de como os projetos de educação e promoção em direitos humanos, como o “Eu Vejo Flores”, do Instituto Aurora (na época realizado em parceria com a PUCPR) foram responsáveis por ela ter acreditado que seria capaz de, ao estar livre, construir uma vida diferente.

Priscila é advogada e professora de Direito Penal na UFPR e na PUCPR. Também é especialista em Direito Criminal e trouxe ao grupo informações e reflexões sobre incoerências no sistema penal brasileiro e a respeito de juízos de valores que, como sociedade, fazemos sobre pessoas presas.

“Eu Vejo Flores” foi selecionado para exibição nos seguintes festivais, no ano de 2019:

  • IV Mostra de Cinema da Mulher, realizada entre os dias 29 e 31/03, em Franco da Rocha – SP
  • VII Festcine Curta Pinhais, realizado entre os dias 22 e 27/04, em Pinhais – PR.
  • V Mostra Pajéu de Cinema, realizada entre os dias 3 e 18/05, nos municípios de Ingazeira, Iguaracy, Carnaíba e Afogados da Ingazeira, no Sertão do Pajeú, em Pernambuco.
  • Panorama Paraná da Mostra Sesc de Cinema 2019, realizada entre 01/11 e 15/12, com exibição no SESC Londrina, no dia 28/11.
Pontes ou muros: o que você têm construído?
Em um mundo de desconstrução, sejamos construtores. Essa ideia foi determinante para o surgimento do Instituto Aurora e por isso compartilhamos essa mensagem. Em uma mescla de história de vida e interação com o grupo, são apresentados os princípios da comunicação não-violenta e da possibilidade de sermos empáticos, culminando em um ato simbólico de uma construção coletiva.
Pontes ou muros: o que você têm construído?
Em um mundo de desconstrução, sejamos construtores. Essa ideia foi determinante para o surgimento do Instituto Aurora e por isso compartilhamos essa mensagem. Em uma mescla de história de vida e interação com o grupo, são apresentados os princípios da comunicação não-violenta e da possibilidade de sermos empáticos, culminando em um ato simbólico de uma construção coletiva.
Quem é você na Década da Ação?
Sabemos que precisamos agir no presente para viver em um mundo melhor amanhã. Mas, afinal, o que é esse mundo melhor? É possível construí-lo? Quem fará isso? De forma dinâmica e interativa, os participantes serão instigados a pensar em seu sistema de crenças e a vivenciarem o conceito de justiça social. Cada pessoa poderá reconhecer suas potencialidades e assumir a sua autorresponsabilidade.
Quem é você na Década da Ação?
Sabemos que precisamos agir no presente para viver em um mundo melhor amanhã. Mas, afinal, o que é esse mundo melhor? É possível construí-lo? Quem fará isso? De forma dinâmica e interativa, os participantes serão instigados a pensar em seu sistema de crenças e a vivenciarem o conceito de justiça social. Cada pessoa poderá reconhecer suas potencialidades e assumir a sua autorresponsabilidade.
A vitória é de quem?
Nessa palestra permeada pela visão de mundo delas, proporcionamos um espaço para dissipar o medo sobre palavras como: feminismo, empoderamento feminino e igualdade de gênero. Nosso objetivo é mostrar o quanto esses termos estão associados a grandes avanços que tivemos e ainda podemos ter - em um mundo em que todas as pessoas ganhem.
A vitória é de quem?
Nessa palestra permeada pela visão de mundo delas, proporcionamos um espaço para dissipar o medo sobre palavras como: feminismo, empoderamento feminino e igualdade de gênero. Nosso objetivo é mostrar o quanto esses termos estão associados a grandes avanços que tivemos e ainda podemos ter - em um mundo em que todas as pessoas ganhem.
Liberdade de pensamento: você tem?
As projeções para o século XXI apontam para o exponencial crescimento da inteligência artificial e da sua presença em nosso dia a dia. Você já se perguntou o que as máquinas têm aprendido sobre a humanidade e a vida em sociedade? E como isso volta para nós, impactando a forma como lemos o mundo? É tempo de discutir que tipo de dados têm servido de alimento para os robôs porque isso já tem influenciado o futuro que estamos construindo.
Liberdade de pensamento: você tem?
As projeções para o século XXI apontam para o exponencial crescimento da inteligência artificial e da sua presença em nosso dia a dia. Você já se perguntou o que as máquinas têm aprendido sobre a humanidade e a vida em sociedade? E como isso volta para nós, impactando a forma como lemos o mundo? É tempo de discutir que tipo de dados têm servido de alimento para os robôs porque isso já tem influenciado o futuro que estamos construindo.
Formações customizadas
Nossas formações abordam temas relacionados à compreensão de direitos humanos de forma interdisciplinar, aplicada ao dia a dia das pessoas - sejam elas de quaisquer áreas de atuação - e ajustadas às necessidades de quem opta por esse serviço.
Formações customizadas
Nossas formações abordam temas relacionados à compreensão de direitos humanos de forma interdisciplinar, aplicada ao dia a dia das pessoas - sejam elas de quaisquer áreas de atuação - e ajustadas às necessidades de quem opta por esse serviço.
Consultoria em promoção de diversidade
Temos percebido um movimento positivo de criação de comitês de diversidade nas instituições. Com a consultoria, podemos traçar juntos a criação desses espaços de diálogo e definir estratégias de como fortalecer uma cultura de garantia de direitos humanos.
Consultoria em promoção de diversidade
Temos percebido um movimento positivo de criação de comitês de diversidade nas instituições. Com a consultoria, podemos traçar juntos a criação desses espaços de diálogo e definir estratégias de como fortalecer uma cultura de garantia de direitos humanos.
Minha empresa quer doar
Minha empresa quer doar