Neste Dia Internacional do Voluntariado, apresentamos alguns dados sobre o voluntariado mundial e sobre a forma como ele é desenvolvido no Instituto Aurora. O que faz uma pessoa voluntária na área de educação em Direitos Humanos? Apontamos algumas possibilidades de atuação conosco.

Por Mayumi Maciel

(Foto: Carol Castanho)

No dia 05 de dezembro é comemorado o Dia Internacional do Voluntariado. A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU), como uma forma de reconhecer e promover o trabalho voluntário ao redor do mundo.

De acordo com a ONU, 70% do trabalho voluntário não envolve nenhum tipo de organização, mas é realizado de maneira informal entre as pessoas e suas comunidades. Um outro dado interessante é que mulheres geralmente se envolvem em atividades voluntárias informais, enquanto homens se envolvem mais em voluntariado formal.

Vamos entender um pouco mais sobre o voluntariado no mundo, e sobre como ele é desenvolvido no Instituto Aurora?

Voluntariado no mundo

A ONU publica relatórios sobre a situação de voluntariado no mundo desde 2011. O mais recente, divulgado em dezembro de 2021, poucos dias antes do Dia Internacional do Voluntariado, tem como tema “Construindo sociedade inclusivas e igualitárias”. Ele mostra que a forma na qual voluntários e autoridades interagem e colaboram é essencial para que sejam alcançados os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU. Se você quiser saber mais sobre os ODS, temos um artigo no blog sobre esse assunto: “ODS: o que essa sigla significa e como ela impacta o mundo hoje”.

De acordo com o relatório de 2021, é difícil estimar uma escala global de voluntariado, até mesmo por uma falta de consistência na forma como o voluntariado é definido e medido, variando de país para país. Mas, a ONU estima que, em todo o mundo, a força de trabalho voluntária seria equivalente a 61 milhões de trabalhadores em período integral por mês. O que demonstra a necessidade de valorização da pessoa voluntária, não só no Dia Internacional do Voluntariado, mas durante todo o ano.

As descobertas principais deste relatório são:

  • Voluntariado pode promover uma cultura de tomada de decisão colaborativa. Voluntários contribuem para moldar e priorizar questões que são importantes para si, e para trabalhar colaborativamente com autoridades governamentais;
  • Voluntariado pode alterar relações de poder desiguais. Voluntários têm a capacidade, por meio da colaboração com autoridades governamentais, de reconfigurar relações de poder desiguais entre cidadãos comuns e autoridades;
  • Voluntariado oferece diversos caminhos para participação cívica, mas permanecem desiguais. Voluntários podem atuar em diferentes causas e usam diferentes canais para exercerem o voluntariado – formal ou informalmente;
  • Voluntários constroem pontes. Voluntários geralmente estão na posição única de intermediar relacionamentos entre prestadores de serviços e beneficiários.

Voluntariado no Instituto Aurora

A atividade voluntária é uma peça fundamental da atuação do Instituto Aurora. Por isso, ela está diretamente ligada aos nossos valores: cooperação, amor, justiça social, empatia e liberdade.

Assim, na nossa visão, a atividade voluntária é:

  • Enxergar o outro / a outra como alguém que compartilha da minha humanidade;
  • Abrir espaço para o diálogo;
  • Troca e aprendizado;
  • Conhecer seus limites e saber onde suas habilidades serão mais bem utilizadas.

Desta forma, acreditamos que cada pessoa voluntária pode explorar os seus potenciais e aprender muito no processo. A atividade voluntária é sim uma doação, mas não apenas isso. É uma oportunidade de enxergar a nossa humanidade compartilhada e de ajudar a construir uma cultura de Direitos Humanos.

O que faz uma pessoa voluntária na área de educação em Direitos Humanos?

O Instituto Aurora atua na área de educação em Direitos Humanos. Por isso, realizamos ações educativas que dialogam com diversos públicos, como: juventudes, servidores públicos, colaboradores do setor privado e sociedade em geral.

Neste ano de 2021, algumas atividades que realizamos foram: lançamento do Panorama da Educação em Direitos Humanos no Brasil no biênio 2019-2020, projeto Biblioteca Mais Plural, evento Humanidade Se Compartilha, rodas de conversa, rodas de leitura, grupos de estudos, palestras, cursos, além da produção de conteúdos educativos sobre Direitos Humanos.

E onde as pessoas voluntárias se encaixam nisso? São muitas as possibilidades, desde a atuação direta em algum projeto, até a aplicação de conhecimentos específicos. Em 2021, as atividades desenvolvidas pelas voluntárias e voluntários foram:

  • Produção de artigos para o blog;
  • Produção de conteúdo para redes sociais;
  • Design e diagramação;
  • Elaboração de landing page;
  • Elaboração e facilitação de rodas de conversa;
  • Apresentação em oficina e bate-papo;
  • Pesquisa e levantamento de dados;
  • Relatoria de grupo de estudos;
  • Consultoria em planejamento estratégico.

Queremos destacar que todo mundo pode contribuir de alguma forma com a educação em Direitos Humanos. Todas as atividades de 2021 foram realizadas em formato online, e mesmo assim tivemos uma diversidade de maneiras em que voluntárias e voluntários estiveram presentes.

Um agradecimento às voluntárias e voluntários, neste Dia Internacional do Voluntariado

Conseguimos alcançar tudo o que alcançamos neste ano de 2021 contando com a ajuda de muitas pessoas que doaram o seu tempo, seu conhecimento e sua dedicação para a nossa causa. Obrigada por acreditarem no que fazemos e por sonharem com a gente!

Queremos aproveitar a data do Dia Internacional do Voluntariado para agradecer a quem está conosco desde o início do Instituto Aurora e a quem veio somar com a gente pela primeira vez neste ano. Realizar atividades totalmente online apresentou desafios e também trouxe novas possibilidades: quem diria que teríamos tantas pessoas voluntárias atuando fora de Curitiba (onde estamos), e inclusive fora do Brasil?

Temos muito carinho por todo mundo que já participou de alguma atividade voluntária com o Instituto Aurora, e trazemos um agradecimento especial a quem esteve presente com a gente nesse ano de 2021:

  • Ana Carolina Machado
  • Ana Carolina Maoski
  • Ana Vitória Carvalho
  • Barbara Vanzo
  • Brenda Lima
  • Daniela Ferreira
  • Eid Neiva da Silva
  • Elinéia Denis
  • Erick da Luz Scherf
  • Gabriela de Lucca
  • Gabriela Esmeraldino
  • Gabriela Nogarolli
  • Janiffer Nascimento
  • Jaqueline Siqueira
  • Leticia Galvão
  • Luísa Mainardes
  • Luiz Dorabiato
  • Maria Giulia Senesi
  • Mariana Coelho
  • Michely Biscaia
  • Monique Munarini
  • Noemi Farias
  • Paula Fiuza
  • Poliana Back da Silveira
  • Sabrina Carrard
  • Silvia Pienta
  • Thaisa Lourenço
  • Thary Correa
  • Thiago das Mercês Silva
  • Vivianne Sousa

Se interessou em saber mais sobre o voluntariado no Instituto Aurora? Acesse a seção “Faça parte”!

Algumas referências que usamos neste artigo:

International Volunteer Day

2022 State of the World’s Volunteerism Report: Building Equal and Inclusive Societies

Pontes ou muros: o que você têm construído?
Em um mundo de desconstrução, sejamos construtores. Essa ideia foi determinante para o surgimento do Instituto Aurora e por isso compartilhamos essa mensagem. Em uma mescla de história de vida e interação com o grupo, são apresentados os princípios da comunicação não-violenta e da possibilidade de sermos empáticos, culminando em um ato simbólico de uma construção coletiva.
Pontes ou muros: o que você têm construído?
Em um mundo de desconstrução, sejamos construtores. Essa ideia foi determinante para o surgimento do Instituto Aurora e por isso compartilhamos essa mensagem. Em uma mescla de história de vida e interação com o grupo, são apresentados os princípios da comunicação não-violenta e da possibilidade de sermos empáticos, culminando em um ato simbólico de uma construção coletiva.
Quem é você na Década da Ação?
Sabemos que precisamos agir no presente para viver em um mundo melhor amanhã. Mas, afinal, o que é esse mundo melhor? É possível construí-lo? Quem fará isso? De forma dinâmica e interativa, os participantes serão instigados a pensar em seu sistema de crenças e a vivenciarem o conceito de justiça social. Cada pessoa poderá reconhecer suas potencialidades e assumir a sua autorresponsabilidade.
Quem é você na Década da Ação?
Sabemos que precisamos agir no presente para viver em um mundo melhor amanhã. Mas, afinal, o que é esse mundo melhor? É possível construí-lo? Quem fará isso? De forma dinâmica e interativa, os participantes serão instigados a pensar em seu sistema de crenças e a vivenciarem o conceito de justiça social. Cada pessoa poderá reconhecer suas potencialidades e assumir a sua autorresponsabilidade.
A vitória é de quem?
Nessa palestra permeada pela visão de mundo delas, proporcionamos um espaço para dissipar o medo sobre palavras como: feminismo, empoderamento feminino e igualdade de gênero. Nosso objetivo é mostrar o quanto esses termos estão associados a grandes avanços que tivemos e ainda podemos ter - em um mundo em que todas as pessoas ganhem.
A vitória é de quem?
Nessa palestra permeada pela visão de mundo delas, proporcionamos um espaço para dissipar o medo sobre palavras como: feminismo, empoderamento feminino e igualdade de gênero. Nosso objetivo é mostrar o quanto esses termos estão associados a grandes avanços que tivemos e ainda podemos ter - em um mundo em que todas as pessoas ganhem.
Liberdade de pensamento: você tem?
As projeções para o século XXI apontam para o exponencial crescimento da inteligência artificial e da sua presença em nosso dia a dia. Você já se perguntou o que as máquinas têm aprendido sobre a humanidade e a vida em sociedade? E como isso volta para nós, impactando a forma como lemos o mundo? É tempo de discutir que tipo de dados têm servido de alimento para os robôs porque isso já tem influenciado o futuro que estamos construindo.
Liberdade de pensamento: você tem?
As projeções para o século XXI apontam para o exponencial crescimento da inteligência artificial e da sua presença em nosso dia a dia. Você já se perguntou o que as máquinas têm aprendido sobre a humanidade e a vida em sociedade? E como isso volta para nós, impactando a forma como lemos o mundo? É tempo de discutir que tipo de dados têm servido de alimento para os robôs porque isso já tem influenciado o futuro que estamos construindo.
Formações customizadas
Nossas formações abordam temas relacionados à compreensão de direitos humanos de forma interdisciplinar, aplicada ao dia a dia das pessoas - sejam elas de quaisquer áreas de atuação - e ajustadas às necessidades de quem opta por esse serviço.
Formações customizadas
Nossas formações abordam temas relacionados à compreensão de direitos humanos de forma interdisciplinar, aplicada ao dia a dia das pessoas - sejam elas de quaisquer áreas de atuação - e ajustadas às necessidades de quem opta por esse serviço.
Consultoria em promoção de diversidade
Temos percebido um movimento positivo de criação de comitês de diversidade nas instituições. Com a consultoria, podemos traçar juntos a criação desses espaços de diálogo e definir estratégias de como fortalecer uma cultura de garantia de direitos humanos.
Consultoria em promoção de diversidade
Temos percebido um movimento positivo de criação de comitês de diversidade nas instituições. Com a consultoria, podemos traçar juntos a criação desses espaços de diálogo e definir estratégias de como fortalecer uma cultura de garantia de direitos humanos.
Minha empresa quer doar
Minha empresa quer doar